domingo, setembro 02, 2007

Novo de novo... (fragmentos)

Hoje tem um sol diferente no céu
Gargalhando no seu carrossel
Gritando nada é tão triste assim
(...)
Vamos celebrar
Nossa própria maneira de ser
Essa luz que acabou de nascer
Quando aquela de trás apagou
E vamos terminar
Inventando uma nova canção
Nem que seja uma outra versão
Pra tentar entender que acabou

Um comentário:

Leandro Coutinho disse...

Sim, diferenças. Às vezes queremos ser também indiferentes. Falar de forró num show punk e não se importar com o sangue gratuito. Gregários, temos de nos adaptar aos universos próprios de cada um pra acomodar nosso próprio mundinho em meio às multidões e vazios. É por isso que o mundo nos merece.
Suas flores colhidas e oferecidas têm sempre um perfume marcante e único. Até aroma de "hoje não quero saber de ninguém". Gosto de todos e tento desfrutar do que está ao meu alcance.
O mundo não precisa compreender essa florista mágica, nem seus truques e ilusões. Basta sentir e deixar.
A diferença pode mesmo ser difícil de se aceitar, mas aceitar nossas próprias particularidades é mais fácil que converter o mundo. Sua alma diz isso nesse silêncio. É o que eu ouço desses perfumes. O mundo os merece.