terça-feira, abril 22, 2008

Pra você que não é romântica

Deitada em minha cama abri a agenda. De dentro das últimas páginas de janeiro, a flor que era amarela caiu marrom sobre meus seios. Apertei-a junto ao peito e senti o aroma. Descobri que o cheiro ainda estava resistente ali. (L.B)

5 comentários:

Júnior Dish / de Paiva disse...

Ahhhh o cheiro incendeia pecados e converte a carne em ardência e ardor em seu frescor tão calmo e tenro.
adorei o post.
beijos!

Leandro Coutinho disse...

Há braços convertidos em abraço, rosas em perfumes. Não dá para permitir os sentidos a se acostumarem. Bom mesmo é descobrir cada aroma único, cada calor original. Abraça para descobrir e cheira para sentir. Só é permanente a novidade.

JornaLillian disse...

Não mesmo. A lembrança é real. O que passou faz parte da pessoa. E essa flor tem muito significado. Não é qualquer flor. A novidade é desdobramento.

bessa disse...

Você deveria ter abraçado o velhinho com a mão suja de cal, esse merecia.

Thiagão disse...

E moça, só tô conhecendo mais seus talentos ...
Que texto lindo !!! Muito bem escrito.
E muito profundo !
É certo que cada braço têm um abraço, tão certo quanto cada palavra tem um significado e cada pessoa tem uma escrita.
Portanto tens uma bela digital.
Um grande Abraço !